Oliveira de Azeméis com Porter

É interessante ver também que Oliveira de Azeméis se encontra alinhado com este famoso relatório em dois sectores: o automóvel e o calçado.

Em 1994 o governo português encomendou um estudo a um professor de Harvard, Michael Porter, para perceber em que áreas deveria o nosso país apostar.

O “Relatório Porter” como ficou conhecido apontou para 7 áreas ou clusters estratégicos: vinho, turismo, sector automóvel, calçado, têxteis, madeira e cortiça.

O objectivo do estudo, muito polémico na época, era ajudar os governos na definição de estratégias para o futuro.

Agora passados que estão 25 anos e, olhando com distanciamento, facilmente chegamos à conclusão que quase todos os setores elencados por Michael Porter se tornaram estratégicos para o país e até mesmo o turismo, área que nessa época parecia não estar tão ao nosso alcance, se tornou vital para Portugal.

E como é interessante ver também que Oliveira de Azeméis se encontra alinhado com este famoso relatório em dois sectores: o automóvel e o calçado.

No setor automóvel, a nossa indústria dos moldes dá cartas à escala mundial sendo escassas as marcas que não recorrem aos produtos ou ao “know how” made in Oliveira de Azeméis.

‘Os moldes’ são o nosso orgulho. Representam o sucesso dos nossos empresários e da sua visão. Os moldes são ainda o espelho da competência de milhares de profissionais que diariamente elevam o nome de Oliveira de Azeméis produzindo qualidade.

E no calçado o nosso orgulho não é menor. Aqui, a indústria transfigurou-se por completo.

Em 1994 muito do que se produzia em Portugal, e também em Oliveira de Azeméis, era inspirado no que se fazia lá fora e especialmente em Itália. Já tínhamos muitas fábricas, muita mão de obra mas a inovação era escassa e não existia um rumo.

Um quarto de século depois tudo é diferente. O calçado português transformou-se na indústria mais sexy da europa fruto de um trabalho de posicionamento notável da associação do setor e dos empresários que perceberam que a inovação, o design e qualidade são factores imprescindíveis para o sucesso.

Por outro lado, existem ainda motivos adicionais de orgulho. É que ambas as associações representativas destes setores são presididas por ilustres oliveirenses. Aníbal Campos preside à AIMMAP - Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal, em representação da Silampos e Luís Onofre dirige a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos.

Nos últimos dias chegou ainda a notícia de que Luís Onofre foi nomeado Presidente da Confederação Europeia da Indústria de Calçado (CEC), a associação que representa mais de 21 mil empresas e que empregam quase 300 mil trabalhadores na europa.

Parabéns Luís Onofre!

0
0
0
s2smodern