Macieira de Sarnes foi à “casa da Democracia”

Foi a convite da deputada Helga Correia (PSD) e do Partido Social Democrata que pela quinta vez um grupo de macieirenses foi até à Assembleia da República. Mais de 1700 oliveirenses já visitaram a casa da democracia desde que esta conta com a deputada oliveirense.

Conhecer o dia-a-dia de um deputado e “os cantos à casa” foi o objectivo da visita de 45 macieirenses à Assembleia da República, em Lisboa, no passado dia 10 de janeiro. “A casa da democracia é uma casa aberta, é uma casa de todos os portugueses” - refere Helga Correia – “é isso que tenho tentado transmitir ao longo deste meu mandato”.

“Muitas das vezes temos a ideia errada do que é a assembleia da república e de qual é a actividade dos deputados. Achamos que os deputados trabalham três dias por semana”, afirma a deputada, que não deixa de destacar o aspecto formativo da visita. “Quando as pessoas de Macieira de Sarnes que vieram hoje visitar a Assembleia da República chegarem a casa e virem as notícias vão ter uma percepção completamente diferente daquilo que se passou aqui hoje”.

Esta é uma forma de o grupo de pessoas “de vários quadrantes políticos” conhecer “uma realidade diferente, que habitualmente vêem na televisão e que parece muito distante”, aponta.

“Foi a primeira vez que cá vim e gostei. É uma casa importante, bonita, que se deve vir visitar. É uma iniciativa louvável da deputada Helga”, afirmou o macieirense Celestino Santos.

Para Florbela Silva, presidente da Junta de Freguesia de Macieira de Sarnes, este tipo de iniciativas é “muito importante”. “Não é a primeira vez que um grupo de Macieira vem à casa da democracia a convite da deputada Helga Correia e esta iniciativa faz todo o sentido a partir do momento em que de ano para ano as pessoas vêm ter comigo e dizem ‘quando fores novamente à Assembleia da República eu também quero ir’”, diz, explicando que há quatro anos consecutivos que lá vão grupos de Macieira de Sarnes.

“É uma iniciativa a convite da deputada, mas também do PSD. Não é uma iniciativa da Junta de Freguesia. Não era no tempo de André Ribeiro, não é agora”, refere. A autarca conta que tudo começou quando se convidaram a ir à Assembleia pessoas do PSD que estiveram envolvidas no projecto da candidatura de André Ribeiro. “A partir desse ano abrimos a toda a comunidade. Começamos a convidar várias pessoas de vários quadrantes políticos”.

“Pretendemos trazer o maior número de pessoas possível à casa da democracia para terem oportunidade de terem uma visita guiada, conhecerem um pouco da nossa cultura, um pouco da nossa história e também perceber o trabalho de um deputado”, explica Florbela Silva, classificando esta visita como um trabalho de “desmistificação”.

Anselmo Fernandes, outro macieirense, viu coisas “muito importantes”. “Antigamente andei por Lisboa a trabalhar, não a passear. Agora vim ver aquilo que não via quando andava a trabalhar”, diz. Para Valdemar Correira, também de Macieira de Sarnes, esta foi uma “visita maravilhosa”. “É um mundo lá dentro. Se puder vir outra vez, venho”.

0
0
0
s2smodern